Blockchain na logística 4.0

Blockchain na logística 4.0

A logística há muito tempo vem se destacando por ser uma área tecnológica, a necessidade de acompanhar as exigências e demandas do mercado faz com que as operações logísticas necessitem ser cada vez mais ágeis e automatizadas. A complexidade das cadeias de suprimentos também exige que o fluxo de informações seja cada vez mais confiável.

Com esta finalidade muitas tecnologias estão disponíveis e sendo adotadas pelas empresas, como softwares para o gerenciamento de frotas e armazéns, sistemas de rastreamento via satélite, roteirizadores, identificação por radiofrequência (RFID), telemetria, entre tantas outras inovações que visam melhorar os níveis de serviços aos clientes e a competitividade das organizações.

Recentemente, uma nova tecnologia está começando a despontar no cenário logístico é o chamado blockchain que consiste em um banco de dados distribuído, descentralizado e disponível para os participantes de uma rede. As informações inseridas nesse banco de dados necessitam ser validadas por todos os seus participantes e após a confirmação não podem mais ser modificadas.

Os benefícios a respeito do blockchain são atribuídos à transparência, pois os registros são verificáveis e imutáveis. Possui também um complexo método de criptografia, o que permite aos seus usuários a realização de trocas de informações e de valores sem intermediários e de maneira segura. Hoje, o maior exemplo da aplicação do blockchain são as transações financeiras utilizando moedas digitais, as chamadas criptomoedas ou Bitcoins.

Além dos Bitcoins essa tecnologia possui capacidade de aplicabilidade em diversos setores, entre eles no gerenciamento das operações logísticas com uma proposta de tornar o fluxo de informações mais ágil, transparente, acessível e confiável. Uma vez que, dentro de uma cadeia de suprimentos, uma mercadoria pode passar por diversos agentes desde a origem até o seu destino final, demandando que as informações sejam precisas e corretas.

Dessa forma, através do blockchain o rastreamento de uma entrega muda, todas as empresas envolvidas nessa atividade passam a ter acesso ao mesmo banco de dados, o que permite a verificação das informações diretamente na fonte, além disso as decisões referente a carga, rota e preço de frete dependem do consenso da rede para serem confirmadas. Como benefícios desse processo, os clientes passam a ter informações mais confiáveis no acompanhamento da entrega, pois após validadas as informações não poderão mais ser alteradas. Para as empresas permite fluxos mais ágeis e maior segurança nas operações.

Algumas indústrias como BRF e varejistas como Carrefour e Wal-Mart já estão implantando o blockchain para o rastreamento de alimentos em suas cadeias. No setor de transportes internacionais a Maersk, transportador marítimo, em conjunto com a IBM lançaram uma plataforma global de cadeia de suprimentos chamada de “TradeLens blockchain”.

O surgimento e a introdução de novas tecnologias nas organizações e no cotidiano das pessoas, tem sido um processo cada vez mais dinâmico. Por isso independente do porte das empresas é muito importante estar atento e preparado para uma nova tendência, chamada de logística 4.0!

Daiane Gonçalves de Carvalho

Professora nos curso de graduação de Administração, Logística e Comércio Exterior da Univates. Doutoranda em Administração na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), possui Mestrado em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Licenciatura Plena pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Especialização em Gestão Empresarial e Graduação em Administração de Empresas com Habilitação em Comércio Exterior. Com experiência profissional em comércio exterior; coordenação de vendas mercado interno e externo; gestão mercadológica; orientação e consultoria empresarial e; empreendedorismo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × três =